A Máscara Mágica

Era uma vez um lorde muito influente e poderoso que tinha milhares de soldados sob o seu comando, com os quais conquistou grandes domínios para si mesmo. Ele era sábio e corajoso, respeitado e temido por todos, mas ninguém o amava. A cada ano que passava ele ficava mais severo, mas também mais sozinho, e seu rosto refletia a amargura de sua alma gananciosa, pois linhas profundas e feias demarcavam sua boca cruel que nunca sorria, e rugas sulcavam permanentemente sua testa.
Ele encontrou porém, em uma das cidades que governava, uma linda donzela a quem ele observara por muitos meses nos seus afazeres entre o povo. O lorde se apaixonou por ela e quis desposá-la. Decidiu ir falar com ela. Vestiu sua roupa mais fina e colocou um coroa de ouro na cabeça. Ao olhar-se no espelho para verificar a impressão que causaria à linda garota, não viu nada a não ser um semblante que causaria medo e daria motivo para ela não gostar dele: um rosto cruel e duro que ficava ainda pior quando tentava sorrir.
Então ele teve uma ótima idéia: mandou chamar um mágico.

Faça-me uma máscara da cera mais fina para que acompanhe cada movimento do meu rosto, mas pinte-a com suas tintas mágicas para que tenha uma expressão agradável e bondosa. Coloque-a no meu rosto de maneira que eu nunca mais tenha que tirá-la. Faça uma máscara bonita e atraente. Use todo o seu talento para isso e eu pagarei qualquer preço.
O mágico respondeu:
Eu posso fazer isso com uma condição. O senhor terá que manter o seu rosto dentro das linhas que eu pintar, porque se não a máscara ficará estragada. Uma única carranca e a máscara ficará irremediavelmente estragada e não poderei substituí-la.
Farei tudo o que me pedir - disse o lorde ansioso. Qualquer coisa para conquistar a admiração e o amor da minha dama. Diga-me como posso evitar que a máscara rache.
O senhor precisa ter pensamentos bons - respondeu o mágico. E para isso precisa de fazer boas ações. Precisa ter um reino feliz em vez de um reino poderoso. Tem que substituir a ira por compreensão e amor. Construa escolas para seus súditos e não somente prisões; hospitais e não somente navios de guerra. Seja gentil e cortês com todos.

Então foi feita a máscara maravilhosa e ninguém teria adivinhado que não era o verdadeiro rosto do lorde. Os meses foram passando e embora a máscara tenha freqüentemente corrido o risco de ficar estragada, o homem lutou muito consigo mesmo para mantê-la intacta. A linda garota tornou-se sua esposa e seus súditos se maravilharam com a transformação milagrosa que tinha ocorrido com ele. Atribuíram isso à sua encantadora esposa que, diziam eles, o havia tornado como ela.
À medida que a cortesia e a consideração foram permeando a vida deste homem, a sinceridade e a bondade também, e logo se arrependeu de ter enganado a sua linda esposa com a máscara mágica. Finalmente não conseguia agüentar mais esse pensamento e mandou chamar o mágico.

Retire de mim este rosto falso pediu. Tire esta máscara enganadora que não representa a minha pessoa!
O mágico respondeu:
Se eu a tirar, nunca mais poderei fazer outra e o senhor terá que ficar com o seu rosto para o resto da vida!
Eu prefiro isso - disse o lorde do que enganar aquela cujo amor e confiança eu ganhei por meios desonestos.

Prefiro ser desprezado por ela do que continuar fazendo algo que ela não merece. Tire a máscara, eu lhe ordeno que tire a máscara!
O mágico tirou a máscara e o lorde, angustiado e assustado, procurou ver-se no espelho. Seus olhos se animaram e seus lábios se abriram num sorriso radiante, pois as linhas feias haviam desaparecido. A carranca tinha desaparecido e seu rosto estava exatamente igual ao da máscara que ele usara por tanto tempo! E quando voltou para junto da sua amada esposa, ela viu apenas as feições normais do homem que amava. Sim, é uma velha lenda: que o rosto de alguém demonstra prontamente o interior da pessoa, sua alma, o que ela pensa e sente, seus profundos pensamentos. As Sagradas Escrituras nos dizem com muita sabedoria e verdade: "Como imaginou na sua alma, assim é" (Pro.23:7) e, "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, se há algum louvor, nisso pensai" (Filipenses 4:8).
NewsletterReceba Nossas novidades
MENSAGEM DA SEMANA

"A popularidade tem matado mais profetas do que a perseguição".
"Inveja, maledicência, fofoca e boatos não conseguem derrubar o cristão que confia na boca de Deus".
MAPA DO SITE        
Home
Agenda
Fotos
Videos
Notícias
Contato
Mural de recados
Testemunho
Sites recomendados
Galeria de downloads
Cantores indicados
Devocionais
 
Esboços
Estudos
Frases
Ilustrações
Oração
Bíblia online
 





 
  Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: digiclique